Arquivo de abril, 2013

Hoje ao acordar senti tua falta, senti que sem você aqui, nada parece inteiro, pois faltam os teus olhos cuidando do meu dia, a tua voz me acalmando e dizendo que tudo vai ficar bem, as tuas teorias malucas. Na verdade falta tudo, falta você.

Hoje me bateu uma nostalgia e ao mesmo tempo, raiva. Tipo saudade e revolta, sabe? Saudade por todos os momentos não fazerem parte do presente e raiva por não ter lutado por você enquanto foi tempo, fui fraca, assumo.

“Me peguei escutando a nossa música pela milésima vez seguida. O coração tava sentindo tanta falta que eu quase não percebi as lágrimas escorrendo pelo rosto contra a minha vontade. Eram muitas, tantas que por um momento fiquei preocupado – meu Deus, eu ainda a amava? Nem sequer lembrava mais de quando tinha sido a minha ultima recaída – eu jurava que já tinha superado. Mas o que era aquele aperto no peito? O que era aquela vontade insaciável de pegar o telefone e ligar pra ela correndo? Será possível que ainda, depois de tanto tempo, existia um restinho de amor incubado no peito? Eu não sabia o que dizer, muito menos o que pensar. Eu já não sabia mais como lidar com aquilo tudo, eu já tinha chorado tantas vezes por ela, mas tudo isso tinha sido antes. Antes de eu superar, antes de eu ser capaz de sair sorrindo por ai sem que o motivo do sorriso fosse ela. Eu não era mais o mesmo, meu coração tava mil vezes mais forte. Mas porque diabos eu tava ali, igualzinho a antes, encolhido na cama chorando baixinho pra ninguém ouvir? Melhor, porque é que eu tava chorando? Dizem que a gente só ama uma vez na vida, mas isso não pode ser válido quando a mulher não te ama de volta, né? Não podia ser, não pode ser. Seria injusto demais amar pra sempre alguém que não sabia nada sobre o amor. E amor não faz a gente ter vontade de arrancar o coração do peito, amor dá vontade de ter mais corações pra poder ter mais espaço pra amar, certo? Pronto, não era amor, era só a música. A letra era bonita demais, era isso – pela amor de Deus, tinha que ser isso!”

Pensar em você já virou rotina pra mim. Não dá mais pra ficar nessa de ‘fingir’  que eu não sinto tua falta, quando a verdade é que você está presente em TUDO que acontece ao meu redor.

Hoje eu quase não pensei em você, fiz minha rotina de cada dia, consegui até sorrir sem que o motivo fosse lembrar do teu sorriso que era tão meu.
Parece que as lembranças de nós dois foram marcadas a ferro em mim. Tudo ao meu redor me lembra você. Ta bom vai, quase tudo. afinal me acostumei com a tua ausência..
Já tentei ser feliz com outro alguém e fui, mas não tanto quanto fui contigo. A primeira vez que eu ouvi ‘eu te amo’ de outra pessoa foi terrível, pois eu só via a tua imagem ali na minha frente e eu não pude dizer o mesmo.
Hoje você tem outro alguém. E este outro alguém, pode ser a pessoa mais feliz do mundo e nem sabe.
Engolir sentimentos a seco,sorrir quando não se tem vontade,saber que não tem como lutar pelo seu grande amor,ser educado e gentil,quando sua vontade é gritar bem alto para te deixarem em paz.Como é difícil tudo isso e mais difícil ainda é fingir que está feliz quando se está arrasado.E a vida segue…

“Te amar dói, machuca. Me causa dor, angústia. Fico doente, de saudades, de carência, de amor. Te amar me faz mal, um mal que me faz bem.”

— Querido John

-VP

Anúncios