Arquivo da categoria ‘Textos’

Hoje ao acordar senti tua falta, senti que sem você aqui, nada parece inteiro, pois faltam os teus olhos cuidando do meu dia, a tua voz me acalmando e dizendo que tudo vai ficar bem, as tuas teorias malucas. Na verdade falta tudo, falta você.

Hoje me bateu uma nostalgia e ao mesmo tempo, raiva. Tipo saudade e revolta, sabe? Saudade por todos os momentos não fazerem parte do presente e raiva por não ter lutado por você enquanto foi tempo, fui fraca, assumo.

“Me peguei escutando a nossa música pela milésima vez seguida. O coração tava sentindo tanta falta que eu quase não percebi as lágrimas escorrendo pelo rosto contra a minha vontade. Eram muitas, tantas que por um momento fiquei preocupado – meu Deus, eu ainda a amava? Nem sequer lembrava mais de quando tinha sido a minha ultima recaída – eu jurava que já tinha superado. Mas o que era aquele aperto no peito? O que era aquela vontade insaciável de pegar o telefone e ligar pra ela correndo? Será possível que ainda, depois de tanto tempo, existia um restinho de amor incubado no peito? Eu não sabia o que dizer, muito menos o que pensar. Eu já não sabia mais como lidar com aquilo tudo, eu já tinha chorado tantas vezes por ela, mas tudo isso tinha sido antes. Antes de eu superar, antes de eu ser capaz de sair sorrindo por ai sem que o motivo do sorriso fosse ela. Eu não era mais o mesmo, meu coração tava mil vezes mais forte. Mas porque diabos eu tava ali, igualzinho a antes, encolhido na cama chorando baixinho pra ninguém ouvir? Melhor, porque é que eu tava chorando? Dizem que a gente só ama uma vez na vida, mas isso não pode ser válido quando a mulher não te ama de volta, né? Não podia ser, não pode ser. Seria injusto demais amar pra sempre alguém que não sabia nada sobre o amor. E amor não faz a gente ter vontade de arrancar o coração do peito, amor dá vontade de ter mais corações pra poder ter mais espaço pra amar, certo? Pronto, não era amor, era só a música. A letra era bonita demais, era isso – pela amor de Deus, tinha que ser isso!”

Pensar em você já virou rotina pra mim. Não dá mais pra ficar nessa de ‘fingir’  que eu não sinto tua falta, quando a verdade é que você está presente em TUDO que acontece ao meu redor.

Hoje eu quase não pensei em você, fiz minha rotina de cada dia, consegui até sorrir sem que o motivo fosse lembrar do teu sorriso que era tão meu.
Parece que as lembranças de nós dois foram marcadas a ferro em mim. Tudo ao meu redor me lembra você. Ta bom vai, quase tudo. afinal me acostumei com a tua ausência..
Já tentei ser feliz com outro alguém e fui, mas não tanto quanto fui contigo. A primeira vez que eu ouvi ‘eu te amo’ de outra pessoa foi terrível, pois eu só via a tua imagem ali na minha frente e eu não pude dizer o mesmo.
Hoje você tem outro alguém. E este outro alguém, pode ser a pessoa mais feliz do mundo e nem sabe.
Engolir sentimentos a seco,sorrir quando não se tem vontade,saber que não tem como lutar pelo seu grande amor,ser educado e gentil,quando sua vontade é gritar bem alto para te deixarem em paz.Como é difícil tudo isso e mais difícil ainda é fingir que está feliz quando se está arrasado.E a vida segue…

“Te amar dói, machuca. Me causa dor, angústia. Fico doente, de saudades, de carência, de amor. Te amar me faz mal, um mal que me faz bem.”

— Querido John

-VP

Anúncios

Amor efémero

Publicado: 6 de março de 2013 em Contos, Textos

amor-verdadeiro-01

Um dia mais tarde, vários anos depois de um amor eterno que acabou sem esperança, encontram–se por acaso num café onde costumavam ir. Como estão ambos sozinhos, sentam-se na mesma mesa de antigamente a tomar uma bica saudosa. Para matar saudades, diz ela, divertida com a coincidência de se acharem ali inadvertidamente.

Pedem um café ao mesmo empregado de antigamente, este afasta-se e ficam a observar-se em silêncio, momentaneamente sem nada que dizer, sem palavras para exprimir a sua perplexidade, sopesando os anos que passaram sem se verem, recordando aquela altura em que não havia mais nada, mais ninguém, para eles, senão os dois.

Valeu a pena?, pergunta-lhe ela de chofre, ainda a sorrir, já sem a mágoa que os anos se encarregaram de diluir. Valeu a pena o quê?, interroga-a ele, sem ter a certeza onde quer chegar. Teres-me deixado. Nunca te arrependeste?

É difícil dizer, afirma, não sei se teria sido mais feliz se tivesse ficado contigo. Mas é bem possível que sim, admite. Ela assente com a cabeça, sem dizer nada, concentrada na tarefa de deitar açúcar no café, de o mexer, pensativa, mas não lhe faz mais perguntas. O que lá vai, lá vai, pensa, sabendo que seria incapaz de voltar a amá-lo depois de ele ter traído o amor deles, de ter quebrado uma união tão forte que os obrigava a procurarem-se com uma desesperada e intensa felicidade. Mas um dia ele desistiu e ela percebeu que a tinha enganado, mentira-lhe, pois só estivera preso a uma emoção e a nada verdadeiramente perene.

Enquanto ali estão, falam deles, das suas vidas, do que fizeram, do que andam a fazer, põem a conversa em dia. Depois despedem-se com um beijo simples de amigos, com uma promessa de tomarem outro café em breve, sabendo ambos que não é para cumprir, que isso não acontecerá.

Separam-se à porta, vai cada um para seu lado. Está a chuviscar e ele sobe as abas do casaco, encolhe-se, afasta-se a correr em direção ao carro. Ela, sem pressa, recusou uma boleia, abre o chapéu-de-chuva e põe-se a caminho. Pára à beira do passeio, à espera do verde para os peões, a meditar na indiferença que ele lhe provocou hoje, espantada com o amor que lhe tivera no passado, quando se lembrava dele por tudo e por nada, a todas as horas do dia.

Reflete em como tudo é efémero, até o amor vivido com uma entrega total. A paixão esfumou-se e, por ele, só lhe resta uma ténue estima, uma leve nostalgia. O sinal muda, ela abana a cabeça a sorrir sozinha, desconcertada, atravessa a rua e, ao chegar ao outro lado, já vai distraída a pensar no que tem de fazer a seguir.

Por: Thiago Rebelo, escritor

165072_458290520900418_184708794_n
“Acalme-se garota, por favor. Prometa pra mim que não vai chorar. Provavelmente agora você deve estar em casa, pensando em como tudo passou tão rápido e no porquê de vocês,  terem sido tão felizes juntos. e o seu “Para sempre” ter durado tão pouco…”
 
“Sabe, eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas de todos os garotos em que conheci você foi o único que realmente conseguiu me provar que amar é muito mais do que dizer ”eu te amo”. Será que você entende o que isso significa? Significa que independente do que acontecer agora, eu te guardarei sempre comigo. Mesmo que lá na frente você se torne só uma boa lembrança de um amor efêmero.
 
Na verdade eu nunca desisti de nós. A verdade é que se agora eu estou aqui, é porque eu estou correndo atrás de tudo o que eu sempre desejei para mim. Enquanto embarco nesta nova viagem, penso em tudo o que aconteceu com a gente. Desde de como nos conhecemos até aquele momento mágico em que nos reencontramos e nos revelamos. É tão difícil, depois de tantos momentos bons, olhar para o lado e ver que você ficou para trás.
 
Não sei exatamente porquê estou escrevendo isso, mas eu preciso de algo para me lembrar de você. Algo para que eu olhe, aonde estiver, e me lembre de todas as sensações que só você me causou. Porque se com o tempo toda essa ligação se perder, eu terei algo para fazê-la renovar e assim ter esperanças de que um dia, depois dessa viagem, você estará a me esperar.
 
Desde que eu resolvi fazer essa nova viagem, ajustar minhas velas e mudar minha direção eu soube que não seria fácil estar sem você. Eu não queria passar toda a minha viagem triste, então resolvi que não iria pensar em nós até estar preparada. Tentei de todas as maneiras achar uma saída para nossas lembranças,  não pensar em você e até prometi a mim mesma que iria te esquecer. Mas quer saber? Que se dane! Promessas são quebradas o tempo todo.
 
Eu só gostaria que você soubesse que eu não te esqueci, assim como havia te contado da última vez em que nos falamos. Que eu lutei contra esse sentimento e que desejei não ter te conhecido algumas vezes. Sabe aquelas em que a saudade surgia e parecia não ir embora mais? Então. Foi difícil voltar a realidade depois de curtir aquela gostosa viagem. E perceber que para mim, foi muito maior que para você.E se você não entender o porquê disso tudo, não tem problema. Apenas desapareça. Suma por aí e não me procure mais. Apenas me faça ver que tudo não se passou de uma ilusão e que nada disso foi real. Pelo menos para você.”
-VP
 
“Tem sorte quem ama, ou quem amou um dia, que por conta disso nunca mais terá um coração vazio.”
 

Esse meio todo

Publicado: 16 de dezembro de 2012 em Citações, Frases, Reflexões, Sentimentos, Textos

Neste momento pego emprestada as palavras de Martha Medeiros, para vestir minha alma e meu coração. Esse coração que anda tão confuso. Mas na vida, você precisa seguir, não dá para ficar parada, tem que arriscar.

Vida é o que existe entre o nascimento e a morte. O que acontece no meio é o que importa.

No meio, a gente descobre que sexo sem amor também vale a pena, mas é ginástica, não tem transcendência nenhuma. Que tudo o que faz você voltar pra casa de mãos abanando (sem uma emoção, um conhecimento, uma surpresa, uma paz, uma ideia) foi perda de tempo.

Que a primeira metade da vida é muito boa, mas da metade pro fim pode ser ainda melhor, se a gente aprendeu alguma coisa com os tropeços lá do início. Que o pensamento é uma aventura sem igual. Que é preciso abrir a nossa caixa preta de vez em quando, apesar do medo do que vamos encontrar lá dentro. Que maduro é aquele que mata no peito as vertigens e os espantos.

No meio, a gente descobre que sofremos mais com as coisas que imaginamos que estejam acontecendo do que com as que acontecem de fato. Que amar é lapidação, e não destruição. Que certos riscos compensam – o difícil é saber previamente quais. Que subir na vida é algo para se fazer sem pressa. Que é preciso dar uma colher de chá para o acaso. Que tudo que é muito rápido pode ser bem frustrante.

Que Veneza, Mykonos, Bali e Patagônia são lugares excitantes, mas que incrível mesmo é se sentir feliz dentro da própria casa. Que a vontade é quase sempre mais forte que a razão. Quase? Ora, é sempre mais forte.

No meio, a gente descobre que reconhecer um problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Que é muito narcisista ficar se consumindo consigo próprio. Que todas as escolhas geram dúvida, todas. Que depois de lutar pelo direito de ser diferente, chega a bendita hora de se permitir a indiferença.

Que adultos se divertem muito mais do que os adolescentes. Que uma perda, qualquer perda, é um aperitivo da morte – mas não é a morte, que essa só acontece no fim, e ainda estamos falando do meio.

No meio, a gente descobre que precisa guardar a senha não apenas do banco e da caixa postal, mas a senha que nos revela a nós mesmos. Que passar pela vida à toa é um desperdício imperdoável. Que as mesmas coisas que nos exibem também nos escondem (escrever, por exemplo). Que tocar na dor do outro exige delicadeza.

Que ser feliz pode ser uma decisão, não apenas uma contingência. Que não é preciso se estressar tanto em busca do orgasmo, há outras coisas que também levam ao clímax: um poema, um gol, um show, um beijo.

No meio, a gente descobre que fazer a coisa certa é sempre um ato revolucionário. Que é mais produtivo agir do que reagir.

Que a pior maneira de avaliar a si mesmo é se comparando com os demais. Que a verdadeira paz é aquela que nasce da verdade. E que harmonizar o que pensamos, sentimos e fazemos é um desafio que leva uma vida toda, esse meio todo.

(Martha Medeiros)

Ser feliz e mais nada

Publicado: 27 de novembro de 2012 em Frases, Sentimentos, Textos

Não posso, e nem quero ser perfeita, mas serei a melhor que eu puder…
Percorrer meus caminhos e neles encontrar momentos felizes, pessoas e lugares inesquecíveis…
Quero deixar no coração de quem me acompanha boas lembranças!
Viver tudo intensamente, aproveitar cada momento…
Errar, tropeçar, cair, levantar, aprender…
E no final, ter a alegria de dizer: fiz o meu melhor…
E ter a certeza que alguém eu fiz feliz!!!

Um Sopro de Vida.

Publicado: 27 de novembro de 2012 em Sentimentos, Textos

“Fiz o que era mais urgente: uma prece.
Rezo para achar o meu verdadeiro caminho. Mas descobri que não me entrego totalmente à prece, parece-me que sei que o verdadeiro caminho é com dor. Há uma lei secreta e para mim incompreensível: só através do sofrimento se encontra a felicidade. Tenho medo de mim pois sou sempre apta a poder sofrer. Se eu não me amar estarei perdida — porque ninguém me ama a ponto de ser eu, de me ser. Tenho que me querer para dar alguma coisa a mim. Tenho que valer alguma coisa? Oh protegei-me de mim mesma, que me persigo. Valho qualquer coisa em relação aos outros — mas em relação a mim, sou nada.

É tão bom ter a quem pedir. Nem me incomodo muito se eu não for totalmente atendida. Eu peço a Deus para eu ser mais bonita — e não é que meu olho faísca ao mesmo tempo que meus lábios parecem mais doces e cheios? Eu peço a Deus tudo o que eu quero e preciso. É o que me cabe. Ser ou não ser atendida — isso não me cabe a mim, isto já é matéria-mágica que se me dá ou se retrai. Obstinada, eu rezo.
Eu não tenho o poder. Tenho a prece.”Um Sopro de Vida.

Pare de enganar a si mesmo

Publicado: 23 de novembro de 2012 em Dedicatória, Sentimentos, Textos

Não adianta você dizer que esta feliz, você não esta. Não adianta dizer que não sente falta, você sente. Não adianta dizer que não se importa, você se importa. Não adianta dizer que ficou no passado, você ainda gosta dela. Não adianta dizer que ela te machucou, os dois se machucaram. Não adianta dizer que não foi bom, foi perfeito. Não precisa fingir não ter escutado a música de vocês tocando na rádio, você quis cantá-la e não parou de pensar nela. Não precisa fingir não se importar ao pensar algo sobre ela, os seus olhos brilham e o seu coração dispara cada vez que pensa ou lê o nome dela. Não adianta tentar substituí-la, ninguém sera a mesma pessoa que ela é. Talvez você ache alguém melhor, mais bonita, mais inteligente, mas nunca com aquela mesma voz, aquele jeito de ser, com aquele mesmo sorriso que você se apaixonou. Fingir indiferença já não funciona mais para você, o amor deu lugar ao vazio deixado por ela, e o espaço vazio deixado por ela não vê a hora de voltar a ser amor. Não adianta olhar para frente, respirar fundo e dizer para si mesmo que ela é passado. Ela é seu passado, presente e o futuro que deseja no lugar mais intimo do seu coração. Batalha de egos. Uma guerra em que todos saem perdendo. Perdem a si mesmos. Perdem lembranças. Se agarram à futuros incertos. A saudade chega a queimar no peito e ninguém quer ceder. Mas quando um ceder.. Vai ser inesquecível. Como sempre. Ah vai, alguém tem que ceder…

Te esqueço ou te espero ?